sábado, 19 de setembro de 2009

Fuja de quem despreza a Palavra

“Encontre-se com o homem a ursa à qual roubaram os filhos, mas não o louco na sua estultícia” (Provérbios 17.12).

É loucura descrer da Palavra de Deus. Melhor é estar frente a frente com a ursa que teve os filhotes roubados. A pessoa que abre o coração para o diabo pode fazer qualquer mal a você, portanto, fuja dos que desprezam a Verdade e aceite o conselho bom.
Quando um indivíduo decide descrer da Palavra de Deus, ele se deixa possuir pela pior loucura que o inferno já produziu e passa a ser alguém de alta periculosidade em todos os sentidos. Ele fica cego para a Verdade, começa a ser controlado pelas forças diabólicas e, por isso, não é bom ficar diante dele, pois o diabo poderá usá-lo em suas mais sujas operações. Somente o temor à Palavra do Senhor dá ao homem juízo sadio (Salmo 111.10; Provérbios 1.7).
Coitado de quem, sem o poder de Deus, coloca-se diante dessa pessoa, pois o amor, a consideração e outras virtudes que são comuns ao homem normal não são encontrados nos loucos. Eles nem pensam duas vezes em fazer o mal. As Escrituras declaram que é preferível encontrar uma ursa de quem foram subtraídos os filhotes a estar diante dos loucos. No entanto, os servos de Deus devem estar conscientes de que receberam poder ao serem batizados no Espírito Santo para libertarem esses infelizes. Na verdade, nós, servos do Altíssimo, somos os únicos com poder para livrar essas pobres e infelizes vidas.
A pior coisa que uma pessoa pode fazer é abrir o coração para o inimigo. O diabo usa os que se dão a ele das mais diversas e perdidas maneiras. Os loucos não têm vontade própria, pois são dominados e dirigidos pelo gênio do mal. Agora, quem se oferece a Deus para libertar esse tipo de gente consegue a maior glória que alguém poderia desfrutar. Como membros do Corpo de Cristo, estamos autorizados e armados para a batalha que liberta essas pessoas. Não tema o que o inimigo aparentemente possa fazer, pois você pode tudo desde que o Senhor o esteja fortalecendo (Filipenses 4.13).
É bom manter uma distância daqueles que desprezam a Verdade, mas precisamos anunciar-lhes a mensagem libertadora do Evangelho, sem mantermos comunhão com eles. Observar, analisar e presenciar o que eles fazem podem contaminar até os mais santos. Não é necessário conhecermos as profundezas de Satanás, basta ter ciência do que o Senhor nos dá.
Atenção aos conselhos de Deus! Ele não fala nada por acaso nem nos adverte à toa. O inimigo é pernicioso, astuto e está sempre em batalha para destruir aqueles que não são fiéis ao Senhor. Já o Pai protege todos os que dão à Sua Palavra o respeito e atenção devida, e guarda os que são dEle (2 Timóteo 2.19; 2 Tessalonicenses 3.3).
Em Cristo, com amor,
R. R. Soares

sábado, 12 de setembro de 2009

Hoje


Em algumas horas, mais um dia de trabalho, estudo, entretenimento, descanso, entre outras atividades, estará terminando. Mesmo assim, com certeza, a maioria de nós não parou sequer por um minuto pensando em não terminá-lo. Afinal, para que pensar sobre a morte, não é mesmo?

É interessante a irrelevância da morte para aqueles que ainda têm "muito tempo pela frente". A este respeito, um pensador cristão disse certa vez: "Não há nada mais certo que a morte, e nada mais incerto que a hora dela". Mas este não é o seu caso, certo? Será que não? "Mas Deus lhe disse: Insensato, esta noite te pedirão tua alma; e o que tens preparado, para quem será?" Lucas 12:20.

Saiba que este texto não tem nenhuma intenção de amedrontar quem quer que seja. No entanto, todos sabemos que não há garantia alguma que qualquer um de nós termine este dia. Só Deus pode saber isso. "O Senhor (Deus) é que tira a vida e a dá" Samuel 2:6.

Agora reflita por um instante: E se Deus, em Seu infinito poder, soberania e sabedoria, decidir que "esta noite te pedirão a tua alma" o que você vai Lhe dizer? Ou você está entre os insensatos que acham que depois da morte não há mais nada? Quando essa vida acabar, só um fato irá interessar naquele momento: o novo nascimento em Cristo. Você sabe o que é isso? Pense seriamente sobre esse fato. Pense hoje. Pense agora.


quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Colocando o poder de Deus em ação


“Sabeis isto, meus amados irmãos; mas todo o homem seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar. Porque a ira do homem não opera a justiça de Deus” (Tiago 1.19,20).
Que todos saibam: a mão de Deus só é movida pela fé. Uma pessoa pode estar desejosa ou necessitada de ver o poder do Altíssimo operando e, por essa razão, concentra-se, ora e determina, ordenando que a obra seja feita. Mas, se não tiver sido movida pelo próprio Senhor, nada acontecerá.
Qualquer doutrina fora das Escrituras é lixo e, como tal, deve ser descartada. Talvez, ela pareça bonita, lógica, ou tenha feito momentaneamente um bem para algumas pessoas. No entanto, Isaías admoestou que somente a Lei e o Testemunho têm validade (Isaías 8.19,20), caso contrário, não há luz. Ora, se não existe luz, então, as trevas imperam, e sabemos que elas não são do Senhor, mas, sim, do diabo.
Muitos indivíduos, por darem ouvidos aos falsos profetas, são levados a agirem sem respaldo bíblico, e tais atitudes não produzem mudança alguma, porque o que é originado no homem não tem poder no mundo espiritual. Aquilo que precisamos de Deus nos é concedido por meio da revelação da Palavra dEle.

(R. R. Soares)

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Oração atendida



Em sua palavra, Deus se apresenta como aquele que ouve e atende às orações. No texto Mateus 7:7-11 Jesus afirmou: "Peçam e lhes será dado; busquem, e encontrarão; batam, e a porta lhes será aberta" (v.7).
Fala-se hoje muito em "oração poderosa", mas o que há de ser? Toda oração que parte de um coração puro e de uma fé não fingida será poderosa. Entretanto, Deus tem suas razões em atender segundo a sua boa vontade. Há uma oração que Deus atende imediatamente: quando alguém pede perdão por seus pecados. Em Romanos lemos que "Todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo" (Rm 10:13), e em Mateus 18:11 Jesus diz que "O Filho do Homem veio para salvar o que se havia perdido". Aquele criminoso que fora crucificado ao lado de Jesus reconheceu que era pecador e pediu: "Jesus, lembra-te de mim quando entrares no teu reino". Jesus lhe respondeu: "Eu lhe garanto: Hoje você estará comigo no paraíso" (Lc 23:42-43). Se você pedir perdão, pode ter certeza que terá resposta imediata. Quem está doente pede saúde. Às vezes Deus atende imediatamente, em outras aparentemente nem responde.
Ore. Peça. Suplique, mas deixe o Senhor responder como e quando Ele quiser, pois não sabemos pedir como convém.
(Pão Diário - 2009 - Rádio Trans Mundial)

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Ser cristão


Ser cristão é andar na contra mão do mundo.
Porém, o mundo vicia, Cristo liberta.
O mundo contamina, Cristo cura.
O mundo é guerra, Jesus é a paz.
O mundo é corrupto, Cristo purifica.
O mundo acusa, Jesus perdoa.
O mundo é ódio, Deus é amor.
O mundo é depressão, Deus é alegria.
O mundo é frágil, Deus é poder.
O caminho do mundo é largo e leva pro abismo.
O caminho de Deus é estreito, mas leva à vida eterna.
Se ser cristão é ser louco, quero ser o mais aloprado de todos.
(Bola de Neve)

domingo, 6 de setembro de 2009

Qual caminho queremos seguir?


"Entrai pela porta estreita, porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela; e porque estreita é a porta, e apertado o caminho que conduz à vida, e poucos são os que a encontram" ( Mateus 7.13-14 )


“Estreita é a porta e apertado o caminho”
* dos poucos “pobres de Espírito” (5.3) daqueles que reconhecem que nada têm a oferecer como mérito seu. Daqueles que reconhecem a sua pobreza e falência espiritual e absoluta dependência de Deus.
* dos poucos arrependidos e contritos que tristes choram os seus próprios pecados (5.4).
* dos poucos mansos que têm uma atitude humilde e gentil para com os outros, mesmos quando provocados (5.5).
* dos poucos que têm “fome e sede de justiça” (5.6), dos poucos que não se acomodam aos seus pecados e à sua falta de retidão e que continuamente se esforçam pela santificação para obedecer a Deus.
* dos poucos misericordiosos (5.7) que têm compaixão dos outros em sua dor, miséria e desespero como conseqüência do pecado.
* dos poucos que perdoam os arrependidos.
* dos poucos pacificadores (5.9), dos que com pensamentos, palavras e estilo de vida buscam a paz entre todos os homens, antes que os conflitos e a guerra.
* dos poucos limpos de coração (5.8), daqueles que não têm o coração dividido, mas, sem mistura, em absoluta sinceridade diante de Deus e dos homens, buscam a retidão que Deus espera deles.
* dos poucos que são perseguidos por causa da justiça e da retidão (5.10-12), daqueles que sofrem por se esforçar para cumprir na vida o que Deus espera deles.
* dos poucos que são sal da terra e luz do mundo (5.13-16), dos que exercem uma influência sadia no mundo. Dos que não confundem a igreja com o mundo e procuram iluminar as trevas deste mundo e preservá-lo do apodrecimento moral e espiritual.
* dos poucos que procuram exceder na retidão “escribas e fariseus”, i.e., aqueles mais retos (5.17-20). Daqueles que “brigam” para
ser os melhores na retidão, na vida moral, na espiritualidade.



“Larga é a porta e amplo o caminho”
* dos muitos que se colocam diante de Deus e dos homens apresentando sua justiça própria para provarem que merecem que Deus e os homens os tratem bem.
* dos muitos que apontam os erros dos outros e que justificam e racionalizam os seus próprios na base de que só erraram porque os outros erraram primeiro.
* dos muitos que escolhem o caminho da maledicência, da fofoca e das reações cheias de ódio, de palavras grosseiras e sem educação.
* dos muitos que se resignam à sua falta de retidão, e dizem que, afinal, “errar é humano”.
* dos muitos intolerantes que se aproveitam da dor, miséria e desespero dos arrependidos para calar suas próprias consciências culpadas.
* dos muitos sem sinceridade, que simulam e encenam uma integridade que não têm.
* dos muitos que preferem fazer parte do problema, antes que da solução.
* dos muitos que, para não sofrer, preferem se moldar à falta de retidão da maioria.
* dos muitos que tornam obscuras as fronteiras entre igreja e mundo e, assim, deixam-se influenciar, antes que exercer influência.
* dos muitos que preferem “brigar” e lutar por dinheiro, fama, cargos e status.



Será que estamos mesmo no caminho certo?


(Texto Igreja Memorial Batista de Brasília)

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Um cego cuspido que ficou curado



Pr. Marco Antonio Peixoto

O que encontramos neste texto é chocante.
Ao se depararem com aquele cego, os discípulos de Jesus logo lhe perguntaram: “mestre, quem pecou, ele ou seus pais?”
Quando estamos diante de uma situação como esta, ficamos em busca de uma explicação.
É mais fácil encontrarmos justificativas para os acontecimentos do que crer em um milagre.
Se você não chegou onde almejava, tem uma enfermidade e não foi curado, sua tendência é procurar uma explicação.
Os discípulos queriam saber quem havia errado para que tal coisa pudesse ter acontecido. Mas a resposta de Jesus logo corta o pensamento dos discípulos: “é para que se cumpra nele as obras de Deus”.
Faço uma pergunta a você: O que nos impede de cumprir as obras de Deus?
A resposta é simples. Aquilo que não entendemos. As situações que nos rodeiam e não as compreendemos travam a nossa mente e nos fazem parar. Ou seja, quando entendemos os valores de Deus, somos transformados e passamos a refletir estes valores. O povo daquela época não estava sensível aos valores de Deus.
A visão que o cego recebeu mudou toda a sua vida. Devemos mudar para melhor e não ficar parado no tempo.
No
capítulo 9 de João, versículo 19, os judeus questionaram até os pais do cego quanto à deficiência de seu filho. No versículo 26, perguntaram pela segunda vez ao cego o que lhe havia acontecido, como tinha sido curado.
Aquelas pessoas não enxergavam o filho de Deus, seus olhos estavam insensíveis às coisas espirituais. Era exatamente isso que Jesus queria provar com esta ação esquisita.
Esta mensagem é para hoje. Deus nos livre de termos nossos olhos insensíveis e do evangelho acostumado. Desde que o mundo existe até hoje, não aconteceram coisas maiores das que estão por vir. Eu creio! O sobrenatural de Deus está por vir!
Em nossa vida muitas vezes somos assim: Deus nos dá uma palavra, mas antes vem uma “confusão”, um período difícil, e nos esquecemos do que Ele falou. Ainda que tudo pareça estranho, não pare, lembre-se: Eu tenho uma palavra de Deus na minha vida! Esta é a lição que este cego nos ensina, andar em cima do que Deus prometeu.

Preste atenção. O poder da cura não estava no cuspe, e sim na obediência. Mas por que este homem cego tinha que passar por esta situação? Para que se cumprissse nele as obras. Se as obras de Deus não se manifestam em mim, o evangelho em mim não serve pra nada.
José teve que passar pelo que passou para que se cumprisse a profecia (
Sl 105:17-20), Sarah passou por provações para que se cumprisse a promessa (Gn 21:1), Jesus veio ao mundo para que se cumprisse as escrituras (Lc 4:21).
Não se prenda as coisas passageiras, tenha fé para enxergar lá na frente.
Você é um recipiente ambulante das obras de Deus!




video

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Pensai nas coisas que são de cima e não nas que são da terra (Colossenses 3.2)


Por que perdemos tanto tempo e nos desgastamos tanto com coisas terrenas, se sabemos que tudo isso é passageiro e o que nos espera é muito maior?
Temos um Deus olhando por nós todo o tempo. Esperando de nós um pouco de atenção e obediência.
Amar o mundo e o que nele existe nos rouba a capacidade de enfrentarmos as tentações e vencê-las, pois, quando o amor ao mundo e às coisas mundanas impera em nossa mente, ele nos mantém presos à carne e às suas paixões.
O segredo é treinar a mente a pensar naquilo que vem do Alto. Com isso, nós nos fortaleceremos e teremos habilidades que nos farão possuir o melhor desta vida. Mas, se vivermos deslumbrados com as coisas dessa terra, jamais as teremos em abundância.
E é isso o que Deus tem pra nós: VIDA EM ABUNDÂNCIA.
Para quem agrada a Deus, até os desejos do seu coração serão supridos
(Salmo 37.4).